VÍDEO: Macaco ‘ataca’ repórter em pousada no Pantanal de MT durante reportagem

VÍDEO: Macaco ‘ataca’ repórter em pousada no Pantanal de MT durante reportagem


O macaco, que estava agarrado em uma árvore com o rabo, puxa o cabelo da repórter, que grita 'Chico, bonzinho' enquanto tenta escapar do carinho exagerado. Macaco 'ataca' repórter em pousada no Pantanal de MT
Poliana Mazzo
Durante uma reportagem sobre a recuperação dos animais em uma pousada no Pantanal de Mato Grosso, a repórter Poliana Mazzo foi 'atacada' por um macaco, que grudou no cabelo dela e não queria mais soltar. (Veja vídeo abaixo)
Macaco 'ataca' repórter em pousada no Pantanal de MT durante reportagem
No vídeo, o macaco, que estava agarrado em uma árvore com o rabo, puxa o cabelo da repórter, que grita 'Chico, bonzinho' enquanto tenta escapar do carinho exagerado.
Compartilhe esta notícia no WhatsApp
Compartilhe esta notícia no Telegram
Chico, no entanto, sem desistir, sobe no ombro de Poliana e continua segurando a cabeça da repórter, que ri da situação e tenta se desvencilhar. Enquanto isso, ela continua pedindo para que o mamífero 'seja bonzinho'.
Minutos antes, o macaco foi flagrado em outro ato de carinho – dessa vez, mais cuidadoso. As imagens mostram o animal tirando carrapato de uma anta, no quintal da pousada onde convivem harmoniosamente.
No vídeo, anta – o maior mamífero terrestre nativo do Brasil – aparenta gostar do carinho. Ela até rola, vira a barriga para cima, para que o macaco continue catando os parasitas.
LEIA TAMBÉM
Vídeo mostra macaco tirando carrapato de anta no pantanal
A pousada fica em Barão de Melgaço, na região do Pantanal mato-grossense, e desenvolve um projeto que ajuda na recuperação dos animais vítimas das queimadas na região pantaneira. O espaço é conhecido internacionalmente pela natureza exuberante e harmonia com a fauna.
O projeto também contempla a recuperação e reintegração desses animais ao seu habitat natural.
No começo de setembro de 2020, quando o fogo começou atingir o Pantanal, a empresa foi apresentada a Associação das Mulheres Protetora dos Animais Silvestres (Ampara Silvestre) e receberam ajuda do Corpo de Bombeiros, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama, da Polícia Ambiental, além de veterinários, voluntários e empresários que colaboraram com produtos e alimentação para os animais.

Use ← →para continuar navegando

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.