STJ mantém resultado do júri que inocentou acusado de matar familiares do estilista Beto Neves

TJ-RJ havia anulado o julgamento de 2019, mas decisão do STJ resolveu pela manutenção da sentença que inocenta Michel Salim Saud. O STJ manteve, por unanimidade, o resultado do júri popular de 2019 que inocentou Michel Salim Saud, acusado de matar familiares do estilista Beto Neves.
Michel foi acusado de ter planejado os assassinatos da mãe do estilista Beto Neves, da sobrinha dele e do noivo dela, em 2013.
Segundo a denúncia, o advogado teria mandado matar as três pessoas para se vingar da ex-mulher, irmã de Beto, de quem já estava separado há cinco anos.
A 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) havia anulado o julgamento de 2019 e determinado a realização de novo júri, mas a Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu manter a sentença que absolveu o advogado Michel Salim Saud.
Rubem Vianna, Nelio Machado e Maurício Dieter, advogados do Michel, impetraram habeas corpus para que a decisão do julgamento de 2019 fosse mantida, alegando que a decisão era ilegal, já que o júri havia deliberado com base nas provas apresentadas tanto pela acusação quanto pela defesa.
A tese dos advogados foi acolhida pelos jurados e os ministros entenderam que decisão dos jurados não poderia ter sido cassada pelo TJ-RJ e, por isso, a absolvição dada pelo júri foi restabelecida.

Use ← →para continuar navegando

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.