Profissional de TI: entenda o que faz e veja os cursos que o Senai oferece na área

Profissional de TI: entenda o que faz e veja os cursos que o Senai oferece na área


Mercado aquecido deve empregar até 2 milhões de pessoas nos próximos 10 anos. Shutterstock
Divulgação
Enquanto muitas profissões enfrentaram dificuldades na pandemia, a área de TI não parou de contratar. Até abril deste ano, vagas para Programador de internet, Programador de sistemas de informação e Programador Multimídia, por exemplo, tiveram saldo positivo. Foram 9.566 novos postos de trabalho.
A tendência é que esse mercado continue crescendo, e empregue até 2 milhões de pessoas nos próximos 10 anos. Dados da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom) indicam que, somente até 2024, devem surgir mais de 350 mil vagas em TI.
A carreira é promissora. A entrada no mercado de trabalho é rápida e é possível trabalhar na indústria e em outras áreas, presencialmente ou de casa. Tudo isso com um salário médio inicial que pode variar entre R$ 3 e R$ 5 mil.
O que faz um profissional de TI?
A área de Tecnologia da Informação oferece diversas possibilidades. Além de programadores e desenvolvedores, cientistas de dados e analistas de cibersegurança são algumas das profissões de destaque nesse setor.
Os programadores, por exemplo, desenvolvem e aperfeiçoam sites, aplicativos, programas de computador, sistemas operacionais, sistemas de empresas e redes sociais. É uma profissão transversal, que permite a atuação em diferentes setores, como serviço, comércio e indústria.
Um dos motivos para a expansão dessas profissões é que elas são consideradas sustentáveis. Isso porque a digitalização das atividades econômicas pode reduzir entre 10% e 20% a emissão total de gases de efeito estufa.
Por isso, no pós-pandemia, o Brasil deverá investir mais na formação de profissionais de TI. Os dados são do estudo Profissões Emergentes na Era Digital: Oportunidades e desafios na qualificação profissional para uma recuperação verde. A pesquisa destaca, ainda, os pontos positivos dessas carreiras, como a formação mais rápida por meio de cursos a distância, mais acessíveis.
Um exemplo é a formação de programador, que leva em média seis meses. E o Senai oferece diversos cursos na área para quem quer ingressar na carreira. Conheça:
Programador Front-End
O Desenvolvedor Front-End é responsável pela experiência do usuário dentro de uma aplicação web, como um site ou um aplicativo. Utilizando linguagens de programação como HTML, CSS e JavaScript, ele desenha e desenvolve as páginas com as quais o usuário irá interagir.
Duração: 348 horas
Programador Back-End
Esse profissional programa os sistemas que estão por trás da parte visual, como as configurações de como utilizar banco de dados, fazer login, comprar um produto ou até mesmo buscar informações em um site. Para isso, ele utiliza linguagens de programação como Java, C# e Python.
Duração: 450 horas
Programador Full-Stack
O Programador Full-Stack reúne os conhecimentos e realiza os trabalhos dos programadores Back-End e Front-End. Ou seja, ele programa a parte visual – interface – e não visual do sistema, com linguagens de programação como Java, C#, Python, HTML, CSS e JavaScript.
Duração: 670h
Em breve, o Senai vai lançar mais cursos na área. São eles: Desenvolvedor Mobile Android (428h), Desenvolvedor Mobile IOS (428h), Desenvolvedor Mobile Multiplataformas Duração (428h) e Desenvolvedor Mobile (932h).
Acesse o site do Senai e veja mais informações sobre os cursos

Use ← →para continuar navegando

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.