Polícia investiga possibilidade de fuga de grávida e filha desaparecidas há seis dias no DF

Informação que chegou aos investigadores é que Shirlene Cristina Silva Batista, de 38 anos, pode ter ido com Tauane Rebeca da Silva, de 14 anos, para Teresina (PI). Policiais analisam câmeras da rua e de ônibus. Mãe (D) e filha (E) desapareceram após saírem para tomar banho em córrego do Sol Nascente, no DF

Seis dias após o início das buscas pela grávida Shirlene Cristina Silva Batista, de 38 anos, e pela filha dela, Tauane Rebeca da Silva, de 14 anos, a Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros do Distrito Federal ainda não têm informações sobre o paradeiro delas. Agora, os investigadores afirmam que apuram a possibilidade de as duas terem fugido para Teresina, no Piauí.

Mãe e filha sumiram após saírem para tomar banho em um córrego, no Sol Nascente, na última quinta-feira. Outro filho da mulher, de 12 anos, estava em casa quando as duas deixaram o local. O marido de Shirlene tem participado das buscas (veja mais abaixo).

Segundo a Polícia Civil, a possibilidade de fuga de mãe e filha passou a ser investigada após depoimento de uma conhecida das duas.

“Recebemos a informação que ela [Shirlene] poderia ter fugido. Não sabemos se procede, mas desde ontem [segunda-feira], estamos fazendo captura de imagens através do monitoramento por câmeras da região”, explicou Vander Braga, delegado chefe-adjunto da 23ª Delegacia de Polícia, em Ceilândia.

O delegado disse que também encaminhou ofício para empresas de ônibus que atendem a região do Sol Nascente, para que elas forneçam imagens captadas pelas câmeras instaladas nos veículos.
Bombeiros vasculharam uma galeria de águas pluviais do Sol Nascente, no DF, em busca de mãe grávida e adolescente de 14 anos.

“É uma investigação um pouco mais demorada porque dependemos da extração das imagens pelas empresas para encaminhar para perícia. É realmente um caso um pouco complicado, porque pode ter uma série de intercorrências. Toda a delegacia está empenhada nas diligências”, afirmou.

Apesar da nova informação, a polícia não descartou a possibilidade de mãe e filha terem se afogado ou sido vítimas de um crime. Por isso, as buscas pelo Corpo de Bombeiros continuam no córrego do Sol Nascente pelos próximos dois dias, segundo o delegado.

Nesta terça-feira, os militares vasculharam uma galeria de águas pluviais da região. Cães farejadores auxiliam os trabalhos.

O caso
Córrego onde grávida e adolescente de 14 anos podem ter se afogado, no Sol Nascente, no DF.

Segundo parentes de Shirlene, ela e a filha saíram de casa por volta das 15h para tomar banho no córrego, e não voltaram mais.

Os bombeiros começaram as buscas na mesma noite, às 21h47. Por causa do difícil acesso e da baixa luminosidade, o trabalho foi suspenso de madrugada e nos dias seguintes.

No domingo (12), o Corpo de Bombeiros chegou a suspender a procura. A corporação disse ter recebido a informação de que as duas tinham sido vistas em uma igreja, em Samambaia.

Horas depois, no entanto, os militares voltaram atrás e retomaram as buscas. Segundo os bombeiros, a informação repassada anteriormente não tinha sido confirmada.

Use ← →para continuar navegando

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.