Polícia do RJ prende 2 de grupo extremista que planejava ataque no Rio

Célula fazia apologia ao nazismo e tramava atentado por preconceito de raça, cor, etnia, religião ou nacionalidade. A Polícia Civil do RJ iniciou nesta quinta-feira (16) uma operação contra um grupo que, segundo as investigações, planejar repetir no Rio o ataque a uma creche em Saudades (SC), em maio. Na ocasião, um jovem de 18 anos matou com facões três crianças e duas professoras.
A Polícia Civil e a Justiça catarinenses alertaram autoridades do RJ sobre uma célula que tramava atos de violência por motivos de preconceito de raça, cor, etnia, religião ou nacionalidade.
A partir de dados do ICE, órgão do governo americano, foi estabelecida a conexão com suspeitos que pretendiam repetir os atos de Santa Catarina no Estado do Rio de Janeiro. Um homem, José Raphael Tomas Zéfiro, foi preso em maio no Rio por envolvimento com o grupo.
A polícia apreendeu com José Raphael um computador, um telefone e quatro videogames. Na análise dos aparelhos, agentes da Dcav descobriram que ele mantinha contato com adultos e menores.
No celular, havia indícios sobre a existência de grupos de indivíduos que se autodeclaram nazistas, ultranacionalistas e nacional-socialistas, associados para praticar e incitar atos discriminatórios, decorrentes de ideologias extremistas.
A devassa das informações constantes no aparelho também permitiu a identificação de parte dos integrantes de grupos de Whatsapp, nos quais alguns dos membros não apenas disseminavam a prática de atos discriminatórios, mas também chegaram ao ponto de conversar sobre a aquisição de armamentos e planejar homicídios em larga escala.
As conversas de suspeitos também revelaram a intenção de atacar especificamente escolas.Fonte G1 SC

Use ← →para continuar navegando

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.