Polícia Civil investiga roubo à residência em Barroso

Crime ocorreu na última quinta-feira (2). Criminosos se passam por policiais civis e levam mais de R$ 45 mil. A Polícia Civil instaurou um inquérito policial para apurar as circunstâncias e a autoria de um roubo à residência que ocorreu na última quinta-feira (2), no Bairro Irmão Dias em Barroso.
No dia do crime, criminosos se passaram por policiais civis e levaram mais de R$ 45 mil.
Conforme a nota emitida pela corporação, o casal vítima do roubo, uma mulher de 56 anos e um idoso, de 61, foram ouvidos e os policiais estão em diligência para identificar e localizar os suspeitos.
"A PCMG está adotando todas as medidas cabíveis para a completa elucidação dos fatos e outras informações serão prestadas com o avançar dos trabalhos investigativos", citou a nota.
O crime
Uma residência localizada no Bairro Irmãos Pinto, em Barroso, foi alvo de criminosos na manhã da última quinta-feira (2).
Conforme a ocorrência enviada pela Polícia Militar (PM), o grupo, composto por 4 indivíduos, abordou o casal, uma mulher de 56 anos e um idoso, de 61, enquanto eles estavam no carro deles prontos para saírem da garagem do imóvel.
O grupo de criminosos trajava uniformes semelhantes aos da Polícia Civil e, segundo as vítimas, apresentaram um mandado de busca e apreensão.
Foram levados mais de R$ 45 mil e outros materiais. Segundo as vítimas, 2 dos criminosos portavam arma de fogo e 3 estavam com máscara.
No cabeçalho do suposto mandado de busca e apreensão, constava o brasão da República e trazia a inscrição do Poder Judiciário – Fórum da Comarca de São João del Rei, além do endereço do fórum.
No mandado judicial ainda constava, como autoridade responsável pela expedição, o nome de um juiz federal de Brasília. Ainda foi inserido no documento o nome de uma das vítimas, com o respectivo endereço.
Após acessarem o imóvel, os criminosos renderam as vítimas, tendo algemado o senhor, e amarrado a mulher.
"Um dos indivíduos estava o tempo todo falando ao telefone, recebendo informações de onde estava localizado o cofre do imóvel", citou a ocorrência.
Foram levados, cerca de R$ 16 mil em espécie e R$ 30 mil em cheques. Durante a fuga, os assaltantes roubaram ainda, um aparelho DVR que armazenava as imagens do sistema de videomonitoramento da residência.
As vítimas foram socorridas com ajuda de um conhecido que chegou no local.
Ainda conforme a PM, os indivíduos não tinham sotaque marcante de outros estados e nem características que pudessem auxiliar na identificação, tais como tatuagens ou outras mais evidentes.
Após diligências, a PM verificou que o carro utilizado pelo grupo era um GM Prisma, 4 portas, de cor preta, com as rodas também pretas, e placa tipo Mercosul.
Na ocasião, o g1 entrou em contato com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) para pedir um posicionamento e foi informado que se trata de um crime de âmbito federal.
A reportagem pediu posicionamento, via e-mail, para o Supremo Tribunal Federal e aguarda retorno.
VÍDEOS: veja tudo sobre a Zona da Mata e Campos das Vertentes

Use ← →para continuar navegando

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.