Pálpebras inchadas? Veja quais são os sintomas e tratamentos do terçol

Pálpebras inchadas? Veja quais são os sintomas e tratamentos do terçol


Inflamação das glândulas dos olhos provoca dor, desconforto e deve ser tratada por oftalmologista Um estudo feito na Universidade da Califórnia (EUA) e publicado no Jornal Americano de Oftalmologia revelou uma relação entre a pandemia de covid-19 e a incidência de casos de terçol. Em junho de 2020, o número de casos havia dobrado em relação ao mesmo mês de 2019. Embora o estudo não traga nenhuma conclusão além dos números, sabe-se que o terçol é causado principalmente por falhas na higiene da região ocular. “Atualmente podemos usar a luz pulsada para evitarmos que o terçol se forme. Especialmente naquelas pessoas que já tiveram um terçol, no passado, a luz pulsada pode representar um grande alívio”, diz a Dra. Eliandra Machado da Silva (CRM 37707 | RQE 23278), oftalmologista da Médicos de Olhos S.A.
Popularmente conhecido como “viúva”, o terçol costuma incomodar bastante: as pálpebras ficam inchadas e doloridas, dificultando o piscar. Outro sintoma comum é a formação de caspa na região dos cílios (blefarite), que é um dos fatores de obstrução das glândulas da margem palpebral. Quando são obstruídas, essas glândulas param de fazer a drenagem normal. É aí que a inflamação acontece.
Causas e tratamentos do terçol
O acúmulo de sujidades na região dos olhos é a principal causa; e, ao contrário do que muita gente acredita, o terçol não é contagioso. É uma reação imunológica do corpo, por isso, pode acometer homens e mulheres em qualquer idade e inclusive aparecer várias vezes ao longo da vida. É essencial manter a região ocular limpa, retirar bem a maquiagem e evitar o uso de colírios e medicamento tópicos sem orientação do oftalmologista. Quando os sintomas surgem, também é o oftalmologista que deve avaliar o quadro e prescrever o tratamento: quanto antes for iniciado, melhor. “Podemos evitar a formação do terçol com medidas simples de higiene, mas, a grande novidade, é o possível tratamento com aparelhos especiais como o Jet plasma, que pode abreviar a dor e o sofrimento do paciente.”, explica a Dra. Eliandra. A massagem tem a função de fazer a drenagem, já que as glândulas estão obstruídas. “Podemos ainda associar pomadas com antibióticos e, se a dor for muito intensa, indicamos anti-inflamatórios por via oral”, completa a oftalmologista da Médicos de Olhos S.A.
Embora seja simples e comum, em alguns pacientes o terçol pode demorar a regredir e vir acompanhado de sintomas mais severos, como lesões maiores nas pálpebras. Nesses casos, os médicos oftalmologistas realizam uma drenagem cirúrgica, com anestesia local e sem pontos. “Isso acontece se não houver melhora em até 30 dias. Na grande maioria dos casos, o terçol evolui bem com os cuidados primários, a drenagem acontece espontaneamente e os sintomas vão melhorando”, completa a Dra. Eliandra.
Cuidados preventivos
Alguns hábitos de higiene são essenciais para prevenir o surgimento das inflamações de terçol. A recomendação de não levar as mãos sujas ao rosto está entre as principais orientações – esse hábito também previne o desenvolvimento de doenças virais transmissíveis pelos olhos. Confira outras dicas da Médicos de Olhos S.A.
Lavar a região ocular com produtos específicos para os olhos, ou com shampoo infantil, cuja formulação não contém ingredientes causadores de irritação ocular;
Não coçar os olhos, mesmo com as mãos limpas. Já notou que quanto mais você esfrega, maior é a coceira? Além de piorar a irritação, esfregar os olhos também facilita a entrada de vírus e é um dos hábitos que acelera o ceratocone e piora a síndrome do olho seco.
Mantenha seus óculos de grau sempre limpos e não compartilhe óculos de sol com outras pessoas. Se você usa lentes de contato, siga à risca as orientações do seu oftalmologista.
Diretor Técnico: Dr. Hamilton Moreira – CRM 9388 | RQE 2872

Use ← →para continuar navegando

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.