Pais convencem garoto a se entregar, e polícia detém três suspeitos de matar entregador em Fortaleza

Pais convencem garoto a se entregar, e polícia detém três suspeitos de matar entregador em Fortaleza


Adolescente que tem 17 anos contou sobre o crime aos pais quando chegou em casa. Entregador Pedro Rodrigues Vieira tinha 25 anos e foi morto mesmo sem reagir ao assalto. Entregador de sushi é morto ao tiros em tentativa de assalto em Fortaleza
Os pais do primeiro adolescente de 17 anos detido por suspeita de participação no assassinato do entregador Pedro Rodrigues Vieira convenceram o filho a se entregar à polícia e confessar o crime, conforme a Polícia Militar. Após o garoto ser detido, outras duas pessoas foram presas. O crime ocorreu no domingo (26), e três pessoas foram detidas, e os três foram detidos na segunda-feira (27).
O entregador de 25 anos foi morto com um tiro durante um assalto no Bairro Planalto Ayrton Senna, em Fortaleza, mesmo sem reagir à ação dos criminosos.
De acordo com o tenente, o adolescente contou sobre o crime aos pais quando chegou em casa. O segundo adolescente também se entregou posteriormente, conforme o tenente.
O terceiro capturado é um homem adulto. Ele foi localizado no Bairro José Walter e tentou fugir quando percebeu a chegada da polícia. Ele foi preso porque, supostamente, participou de maneira indireta do crime ao emprestar a motocicleta utilizadas pelos dois adolescentes durante o assalto.
Com o homem ainda foram apreendidas duas armas: uma calibre 12 artesanal e uma calibre 22. O homem também contou à polícia a localização do veículo utilizado no crime. Contudo, ele nega que alguma das armas apreendidas tenha sido a utilizada na morte do entregador.
O adulto capturado não tem antecedentes criminais, conforme o capitão Costa Junior, do Batalhão de Policiamento do Raio. O agente disse ainda que o homem preso costuma emprestar veículos e armas para menores de idade utilizarem em crimes pela região.
A Secretaria da Segurança Pública informou que os suspeitos foram conduzidos para a Delegacia da Criança e do Adolescente. O órgão informou também que o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa investiga o crime.
'Me pegava no colo e cuidava de mim'
Pedro Rodrigues Vieira era casado e deixa uma filha de sete anos.
Reprodução
Familiares do entregador morto falaram na tarde desta segunda-feira (27) da insegurança da capital e dos sonhos Pedro Rodrigues Vieira.
A irmã de Pedro Rodrigues, Jéssica Vieira, afirmou que o irmão tinha vários sonhos e que trabalhava em dois locais para sustentar a família. Além disso cuidava dela com carinho.
"Meu sentimento é de revolta. Eu só queria entender o motivo disso tudo. O motivo de terem matado meu irmão. Ele era um cidadão Queremos Justiça, pois destruíram o sonho dele. Ele tinha tantos sonhos. Ele me pegava no colo e cuidava tanto de mim. Tinha dois empregos para poder sustentar a família."
Já o pai da vítima, Haroldo Vieira, diz estar magoado e lembrou que o cidadão não pode sair de casa por conta da insegurança.
"Eu estou muito magoado, muito magoado mesmo. Essa situação que nós vivemos hoje. Trancados dentro de casa e sem poder sair. Nós cidadãos não podemos nem sair de dentro dela", disse emocionado.
Mesmo sem reagir, entregador é assassinado a tiro durante assalto em Fortaleza
Vigilante de férias em Fortaleza reage a assalto e é morto a tiros na frente do filho de 6 anos
Frentista é vítima de latrocínio após reagir assalto e lutar com criminoso em Fortaleza; vídeo
Morto mesmo sem reagir ao assalto
Conforme uma testemunha, Pedro Rodrigues trabalhava como entregador de sushi e concluía um serviço, quando foi abordado e atingido por um tiro. O crime foi registrado por câmeras de segurança de uma residência. Ele era casado e deixa uma filha de sete anos.
As imagens registram quando os dois se aproximam e abordam o entregador. O garupeiro aponta a arma e pede a moto. O entregador, com as mãos para cima, não reagiu, mas foi baleado quando entregava a chave da moto.
Um dos envolvidos tenta ligar a moto de Pedro Rodrigues, não consegue e foge com o comparsa. Conforme a Secretaria da Segurança, o entregador chegou a ser socorrido e encaminhado para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas morreu depois que deu entrada na unidade de saúde.
Assista às notícias do Ceará no g1 em 1 Minuto:

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *