Mãe viaja até cachoeira para cumprir promessa feita para filha morta por câncer raro; VÍDEO

Mãe viaja até cachoeira para cumprir promessa feita para filha morta por câncer raro; VÍDEO


Fátima de Souza havia prometido à filha que, assim que ela melhorasse da doença, elas visitariam juntas São Tomé das Letras, em Minas Gerais. Jovem acabou falecendo, e a mãe cumpriu promessa sozinha. Mãe viaja para cumprir promessa feita a filha antes da jovem morrer por câncer raro
"Um dia, iríamos nós duas para conhecer o lugar que eu amo. Acontece que, infelizmente, ela partiu". O desabafo é de Fátima Aparecida de Souza, de 54 anos, que prometeu levar a filha, de 27, para conhecer São Tomé das Letras, em Minas Gerais. O combinado seria cumprido assim que Maristela Aparecida Souza de Silva se recuperasse do câncer raro que tinha. No entanto, não houve tempo, e a jovem faleceu no dia 29 de julho.
A mãe, moradora de Bertioga, no litoral de São Paulo, conta que, durante o tratamento de seis etapas de um linfoma não-Hodgkin de células T, ambas falaram muito sobre o futuro, e o que elas iam fazer quando a artista fosse curada. Foi quando surgiu a promessa de viajarem juntas para São Tomé.
"Pensávamos assim: ela está em tratamento em São Paulo, conseguiu a vaga graças a amigos, e quando ela estivesse melhor, quando ficasse boa, independentemente de quando, íamos juntas, porque eu amo aquele lugar. É um refúgio, um paraíso", lembra. Inclusive, dias antes de a artista falecer, elas tiveram uma nova conversa em que prometeram uma à outra seguir em frente, caso uma delas morresse. A artista disse à mãe que não ficaria sozinha, que iria morar com parentes, caso a mãe faltasse, e Fátima visitaria a Cachoeira do Véu da Noiva, na cidade mineira.
Maristela e Fátima fizeram promessa pouco antes de a jovem falecer
Arquivo Pessoal
"Quem partisse primeiro, a outra iria cumprir, hoje, amanhã, daqui a dez anos", contou. Maristela teve uma piora no quadro clínico, logo depois de receber alta da última sessão de quimioterapia, e precisou ser internada no Hospital Santa Marcelina de Itaquera, na Zona Leste de São Paulo, onde já fazia tratamento. Ela morreu devido a uma infecção generalizada grave.
Quase dois meses depois de perder a filha, Fátima decidiu cumprir o acordo feito com a jovem. "Eu criei um pouco de firmeza para ir lá, até porque eu não aguentava ficar dentro de casa. Quis sair um pouco daquela realidade, que é muito difícil. Fui cumprir o nosso acordo, a nossa promessa", conta emocionada.
Maristela descobriu o câncer em outubro de 2019
Arquivo pessoal
De motocicleta, ela saiu da cidade de Caxambu (MG), onde visitou parentes, para ir a São Tomé. No município, ela passou por alguns pontos turístico, como a Pedra da Bruxa e a Cachoeira do Véu da Noiva, onde disse que "sentiu a presença da filha". Nas redes sociais, ela compartilhou o momento em que chegou ao local prometido.
"Agora, eu estou aqui, filha, e tenho certeza que você está aqui comigo. Olha que lugar lindo e maravilhoso. Um paraíso. As pessoas vêm aqui para se energizar, para trocar as energias. Graças a Deus, eu consegui chegar aqui depois de tanto tempo", diz ela em um vídeo.
Batalha contra o câncer
Em novembro de 2020, o g1 contou a história da artista moradora de Bertioga, que desabafou nas redes sociais sobre a rotina de viver com o linfoma não-Hodgkin de células T, correspondente a somente 3% de todos os linfomas. A doença surge no sistema linfático, por onde trafegam os glóbulos brancos, responsáveis por combater as doenças no corpo. O linfoma ocorre quando essas células passam a apresentar defeito genético, e começam a se reproduzir de maneira descontrolada.
Maristela descobriu que estava com câncer em outubro de 2019, após seis meses tratando alguns episódios de pneumonia, e iniciou o tratamento quimioterápico em um hospital de Mogi das Cruzes. Durante parte do processo, a doença entrou em remissão três vezes, mas sempre voltava. Até que foi indicado o transplante de medula óssea, que não poderia ser feito na unidade, pois não havia estrutura para isso. Ela ficou mais de um mês buscando por uma vaga, mesmo com o risco de morte iminente.
Jovem desabafou nas redes sociais sobre a batalha contra o câncer
Reprodução/Redes sociais
“Essa é a coisa mais devastadora, difícil, dolorida e surpreendente que eu já vivi, mas hoje eu tô aqui pra falar mal do câncer, não tô aqui pra ver o lado bom dele, não. A realidade é que eu tô cansada de viver isso. Cansada de ter que 'manejar' sintomas todos os dias pra conseguir fazer o básico com a vida que ainda me resta. Essa doença tá me matando todo dia. Ela não tem a aparência de um câncer de mama, de uma Covid, de um câncer de pele. Não dá pra ver o que ela faz a olhos nus, mas aqui em casa a gente vê o que ela faz comigo todo dia… O linfoma é realmente agressivo, mas eu tô recebendo graça de Deus pra viver um dia de cada vez, de acordo com os dias que ele me dá. A realidade é que eu tô vivendo um dia de cada vez, na esperança de que Deus vai abrir as portas do hospital certo, na hora certa, e eu vou receber o tratamento correto [sic]”, afirmou em uma postagem nas redes sociais.
Devido à movimentação de amigos e conhecidos, ela conseguiu a internação em novembro de 2020. "Eu estou sentindo como se tivesse indo para a Disney”, declarou na época. No entanto, após oito meses de internações e quimioterapias, a jovem não resistiu. "A luta da minha filha com relação ao tratamento acabou. Agora, ela parou de sofrer. Dói muito, mas Deus sabe o que faz, a gente não sabe o que está guardado para o nosso futuro", desabafou Fátima. Para superar a perda, a mãe afirma que está recebendo todo o apoio da família e amigos – dela e de Maristela.
VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos

Use ← →para continuar navegando

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.