Lichia, cereja e romã: saiba mais sobre as frutas que ganham destaque nessa época do ano

Lichia, cereja e romã: saiba mais sobre as frutas que ganham destaque nessa época do ano


Uma não é produzida no Brasil, outra é considerada como "superfruta" e outra é originária da China; todas trazem benefícios à saúde. Lichia
Pixabay
Com a produção de mais de 40 milhões de toneladas por ano o Brasil é o terceiro maior produtor de frutas do mundo, segundo a Associação dos Produtores e Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas). Entre as mais consumidas pelos brasileiros estão em ordem a banana, a maçã, a laranja, o mamão e a manga.
Mas com a chegada do verão e das festas de fim de ano três frutas ganham espaço e destaque: a lichia, a cereja e a romã. Dentre elas, apenas uma ainda não é produzida no país, outra é considerada como uma "superfruta" e outra é originária da China. Você sabe qual é qual?
É tempo de colher lichia e a fruta ganha espaço no interior paulista
Reprodução/ TV TEM
Lichia
Pertencente à família Sapindaceae, a lichia (Litchi chinensis) é uma fruta de origem chinesa. “Ela é conhecida popularmente no Brasil como pitomba de luxo. Apresenta uma casca vermelha, de aspecto rugoso, e no seu interior uma polpa suculenta e doce, contendo cerca de 12 % de açúcares”, explica a engenheira de alimentos e professora da Universidade Federal do Sul da Bahia Nadabe dos Santos Reis.
Normalmente a árvore da lichieira atinge doze metros de altura e dá frutas entre os meses de novembro a janeiro. Em escala global, a China lidera o ranking sendo responsável por aproximadamente 80% da produção mundial de lichias.
“O cultivo de lichia no Brasil iniciou em 1810 no Rio de Janeiro e atualmente, os estados do São Paulo, Minas Gerais e Paraná são os maiores produtores”, diz Nadabe. A média de produção anual no Brasil é de 4 mil toneladas ao ano.
Supostamente o termo “litchi” ou “Li-zhi” (do dialeto chinês) significava a propriedade de “ser destacada do galho”. Entretanto, foi descoberto que o nome também se refere à propriedade de dos frutos estragarem rápido após a colheita
A fruta, consumida principalmente em natura no país, tem baixo teor calórico e é rica em vitaminas e minerais, como a vitamina C, potássio e cálcio. No Natal costuma estar presente nas ceias para trazer sabor e também beleza a mesa com toda beleza de uma fruta ornamental.
Toda cereja vendida no Brasil é importada.
Pixabay
Cereja
Pequena, arredondada e com uma coloração que varia do vermelho para o roxo escuro a cereja (Prunus avium L – o tipo mais doce e Prunus cerasus L – o mais ácido) que aparece nos supermercados no fim do ano não é cara à toa: toda fruta é importada principalmente dos Estados Unidos, do Chile e da Argentina, apesar do maior produtor mundial ser a Turquia.
De origem asiática, a cerejeira gosta do clima temperado e precisa acumular horas de frio para conseguir se desenvolver. Apesar do Brasil conseguir cultivar outras frutas desse clima (como maça e pêssego), ainda não desenvolveu variedades da cereja, através do melhoramento genético, que se adaptem por aqui.
Cerejeira é o nome que damos a pequeno número de espécies do subgênero Prunus cerasus, da família Rosacea.
É uma fruta com alta concentração de antioxidantes, que apresenta em sua composição carboidratos, lipídeos, proteínas, fibras, cálcio, fósforo, ferro, magnésio, vitaminas A, C, B1, B2, entre outros.
Simpatia de ano novo diz que colocar semente de romã na carteira traz prosperidade
Reprodução
Romã
Quem já ouviu falar que colocar sementes de romã na carteira no ano novo traz dinheiro e prosperidade o ano todo? Essa fruta é rodeada de histórias e lendas. Talvez a tradição venha dos judeus que supostamente acreditavam nela como símbolo de esperança de um ano melhor e dos romanos que diz a lenda que tratavam a fruta como símbolo da riqueza e da ordem. Já os gregos acreditavam que a romã era símbolo da fecundidade.
Entre tantas histórias que permeiam o imaginário, o que se sabe ao certo é que a romã (Punica granatum L.) é uma fruta milenar originária do Oriente Médio que se adapta muito bem aos climas tropicais e subtropicais e que traz inúmeros benefícios para a saúde.
Pesquisas apontam que o suco do arilo da romã (polpa esbranquiçada e sucosa) pode fornecer em torno de 16% da necessidade diária de vitamina C de um adulto, por cada porção de cem mililitros tanto que a fruta é considerada como uma "superfruta", conceito mercadológico que levando em consideração alguns critérios aliando parâmetros nutricionais e potenciais para o comércio.
O interior da romã contém um tecido esponjoso branco que cria espaços cheios de sacos comestíveis, conhecidos como arilos.
Essa superfruta possui atividade antimicrobiana, anti-inflamatória e muitas outras que ajudam no aumento da imunidade. No brasil, a romã chegou através dos portugueses e hoje em dia existem algumas variedades sendo cultivadas principalmente nos estados de São Paulo, Bahia e Pernambuco. No mundo, Irã, Afeganistão, Israel são alguns dos maiores produtores da fruta.

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *