ISP lança plataforma com indicadores de 92 cidades do RJ

Objetivo é utilizar dados de segurança pública dos municípios para criar políticas públicas específicas. O Instituto de Segurança Pública do Rio lançou nesta quarta-feira (8) o site do ISP Cidades, com indicadores de segurança dos 92 municípios do Estado.
O ISPCidades é uma ferramenta de análise baseada nos indicadores municipais, disponibilizada em um painel de visualização virtual aberto que já está disponível. O objetivo é criar dados mais acessíveis para os gestores municipais.
“ Os municípios podem e devem ir além da criação das guardas municipais. A gestão municipal é importante na construção desse tema“, afirmou Marcela Ortiz, delegada e diretora do ISP, durante o evento.
Indicadores
No site do ISP Cidades, os dados são divididos em dois eixos: Espaço Público e Grupos Vulneráveis.
No primeiro, é possível encontrar uma visão mais ampla dos conflitos sociais que acontecem nos municípios:
Trânsito
convivência urbana
patrimônio
pleno acesso ao espaço público
vida (crimes ou tentativas de crimes)
Já no eixo Grupos Vulneráveis, o ISP disponibiliza dados de vitimização de grupos sociais específicos, que possuem características que os tornam mais suscetíveis a sofrerem determinadas violações de direitos. São elas:
Crianças e adolescentes
Jovens
Mulheres
População Negra
LGBTI+
“ Isso poderá dar uma base para o gestor municipal criar políticas públicas para grupos específicos”, pontuou Ortiz.
José Luiz Zamith, secretário de Planejamento e Gestão, explicou como isso pode ajudar os gestores públicos a tomarem decisões.
“O que significa um indicador? O que significa um resultado? Isso tem que ser utilizado em prol de uma tomada de decisão para uma política pública. É uma forma de auxiliar no desenvolvimento de políticas públicas com dados de segurança”, afirmou.
“A segurança é um carro chefe para que a gente consiga gerar uma confiança para que tudo funcione”, finalizou.
Dados por região
O Dossiê Cidades, também lançado nesta quarta-feira, revelou os indicadores mais preocupantes de cada região, com dados de 2018 a 2020.
Os crimes relacionados à exploração sexual, segundo o dossiê, aparecem como um fenômeno presente em todo o território do Estado.
A Região Metropolitana, que concentra 75% da população do Estado, concentrou 54,5% das mortes por intervenção de agente do Estado apenas no Rio de Janeiro e em São Gonçalo.
Já o Norte Fluminense concentra 84% dos seus crimes violentos contra a vida em municípios como Campos dos Goytacazes e Macaé.
Veja os dados mais impactantes para cada região:
Metropolitana: Roubo de carga, roubo de veículos, roubos de rua, associação criminosa e mortes por intervenção de agente do Estado.
Centro-Sul: Posse ou uso de drogas e crimes ambientais
Costa Verde: Crimes ambientais.
Baixadas Litorâneas: Furto a residência ou propriedade rural, crimes ambientais e tráfico de drogas.
Costa Verde: Crimes ambientais.
Médio Paraíba: Posse ou uso de drogas, álcool no trânsito, tráfico de drogas e armas.
Noroeste: Crimes ambientais, posse ou uso de drogas, tráfico de drogas e armas.
Norte Fluminense: Armas, tráfico de drogas e crimes violentos letais intencionais.
Serrana: Crimes Ambientais e Tráfico de Drogas

Use ← →para continuar navegando

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.