IPTU de Belo Horizonte fica 10,42% mais caro em 2022; tire dúvidas

IPTU de Belo Horizonte fica 10,42% mais caro em 2022; tire dúvidas


Segundo prefeitura, guias serão liberadas a partir da primeira semana de janeiro; contribuinte que antecipar pagamento de pelo menos duas parcelas terá desconto de 10%. IPTU de BH fica 10,42% mais caro em 2022
Raquel Freitas/g1
A Prefeitura de Belo Horizonte anunciou, nesta terça-feira (28), que o Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) ficará 10,42% mais caro em 2022. O reajuste tem como base a variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo Especial (IPCA-E) acumulada no exercício de 2021.
A expectativa do Executivo municipal é que o recolhimento chegue a R$ 1.914,50 milhões no próximo ano, considerando o percentual médio de inadimplência de 15%.
Desconto para pagamento antecipado
Segundo a prefeitura, as guias do IPTU 2022 serão liberadas a partir da primeira semana de janeiro.
“Até o fim da segunda semana, todos os cidadãos já devem ter recebido suas guias para pagamento antecipado de pelo menos duas parcelas até o dia 20/01/2022, para usufruir o desconto de 10%”, informou a administração municipal.
Prefeitura de BH oferece desconto de 10% no IPTU para moradores que anteciparem pagamento
O contribuinte também poderá optar pelo pagamento em até 11 parcelas mensais e consecutivas, com vencimento da primeira no dia 15 de fevereiro de 2022 e das demais no dia 15 de cada mês subsequente ou no próximo dia que houver expediente bancário.
As guias para o pagamento parcelado poderão ser emitidas de diversas formas: pela internet; nas agências dos Correios; no aplicativo PBH APP; ou por meio da caixa postal do Domicílio Eletrônico Contribuintes e Responsáveis Tributários de Belo Horizonte (Decort-BH).
Revisão
Os pedidos de revisão e as reclamações contra os lançamentos do IPTU poderão ser feitos até o dia 3 de fevereiro pela internet ou presencialmente. Os atendimentos no BH Resolve serão realizados somente mediante agendamento prévio.
Confira as alíquotas em 2022
1 – Imóveis edificados:
1.1 – Ocupação exclusivamente residencial:
1.1.1 – imóveis com valor venal até R$ 153.302,00: 0,60%;
1.1.2 – imóveis com valor venal acima de R$ 153.302,00 e até R$ 383.258,00: 0,70%;
1.1.3 – imóveis com valor venal acima de R$ 383.258,00 e até R$ 670.705,00: 0,75%;
1.1.4 – imóveis com valor venal acima de R$ 670.705,00 e até R$ 1.149.786,00: 0,80%;
1.1.5 – imóveis com valor venal acima de R$ 1.149.786,00 e até R$ 1.533.050,00: 0,85%;
1.1.6 – imóveis com valor venal acima de R$ 1.533.050,00 e até R$ 1.916.313,00: 0,90%;
1.1.7 – imóveis com valor venal acima de R$ 1.916.313,00: 1,00 %.
1.2 – Ocupação não residencial e demais ocupações:
1.2.1 – imóveis com valor venal até R$ 57.483,00: 1,20%;
1.2.2 – imóveis com valor venal acima de R$ 57.483,00 e até R$ 191.626,00: 1,30%
1.2.3 – imóveis com valor venal acima de R$ 191.626,00 e até R$ 958.152,00: 1,40%;
1.2.4 – imóveis com valor venal acima de R$ 958.152,00 e até R$ 1.916.313,00: 1,50%;
1.2.5 – imóveis com valor venal acima de R$ 1.916.313,00: 1,60 %.
2 – Lotes ou terrenos não edificados
2.1 – imóveis com valor venal até R$ 76.646,00: 1,00%;
2.2 – imóveis com valor venal acima de R$ 76.646,00 e até R$ 574.890,00: 1,60%;
2.3 – imóveis com valor venal acima de R$ 574.890,00 e até R$ 1.149.786,00: 2,00%;
2.4 – imóveis com valor venal acima de R$ 1.149.786,00 e até R$ 1.916.313,00: 2,50%;
2.5 – imóveis com valor venal acima de R$ 1.916.313,00: 3,00%.
Vídeos mais vistos do g1 Minas:

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *