Invasão ao Capitólio, retirada de tropas do Afeganistão, apagão das redes sociais: relembre notícias que abalaram o mundo em 2021

Invasão ao Capitólio, retirada de tropas do Afeganistão, apagão das redes sociais: relembre notícias que abalaram o mundo em 2021


Em 2021, a democracia foi mais atacada em várias partes do mundo, e a tecnologia nunca foi tão importante como agora, em tempos de isolamento social. Em 2021, democracias foram alvos de ataques em várias partes do mundo
Em 2021, o mundo teve que continuar lidando com a pandemia de Covid e as consequências que ela trouxe, mas a vacinação trouxe esperança e dias melhores. Ainda com necessidade de isolamento social, a tecnologia nunca foi tão necessária para manter as conexões. Por outro lado, as redes sociais também aumentaram a polarização e, em muitos lugares do planeta, a democracia esteve em xeque (veja no vídeo acima).
Retrospectiva 2021: os fatos mais impactantes de um ano marcado pela esperança
Relembre os principais acontecimentos que abalaram o cenário internacional:
Retirada das tropas do Afeganistão
No dia 30 de agosto, os Estados Unidos concluíram a retirada de suas tropas do Afeganistão, após 20 anos de guerra. A saída foi anunciada no começo de julho pelo presidente Joe Biden, mas o planejamento acabou tendo que ser apressado depois que o Talibã retomou o controle da capital do país, Cabul, no dia 15 de agosto, provocando desespero em muitos estrangeiros e também em cidadãos afegãos que colaboraram com os EUA e outros países durante os anos de ocupação.
No dia 16, várias pessoas invadiram o aeroporto em busca de uma rota de fuga; houve mortes durante o tumulto. Poucos dias antes do fim da retirada, um atentado de homem-bomba, do lado de fora do aeroporto, ainda deixou mais de 180 vítimas – a maior parte, civis afegãos.
Bebê é entregue a soldados americanos pelo muro do aeroporto internacional de Cabul, capital do Afeganistão, para que seja evacuado do país em 19 de agosto de 2021
Omar Haidari via Reuters
Invasão ao Capitólio dos EUA
No dia 6 de janeiro, apoiadores de Donald Trump invadiram o Capitólio, sede do Congresso americano em Washington, durante a contagem oficial dos votos do Colégio Eleitoral das eleições presidenciais de novembro; eles queriam impedir a confirmação da vitória de Joe Biden.
Parlamentares e jornalistas que estavam no prédio ficaram presos no local e a sessão foi interrompida. Houve vandalismo e até tiros no local. Cinco pessoas morreram.
Explosão causada por um armamento policial ilumina a fachada do Capitólio, em Washington, tomado por apoiadores de Donald Trump no dia em que os parlamentares americanos validariam a eleição de Joe Biden à Presidência
Leah Millis/Reuters/Arquivo
Golpe militar em Mianmar
No dia 1º de fevereiro, o Exército de Mianmar derrubou o governo eleito, prendeu líderes políticos, fechou o acesso à internet e suspendeu os voos ao país. Os militares detiveram integrantes do governo – inclusive a líder política Aung San Suu Kyi, vencedora do Nobel da Paz em 1991 -; e o presidente do país, Win Myint. Eles acusaram os governantes depostos de estarem no poder graças a uma fraude eleitoral.
Imagem de manifestações em Yangon contra o golpe de Estado em Mianmar, em 7 de fevereiro de 2021
Stringer/Reuters
Putin sanciona lei que o permite ficar no poder até 2036 na Rússia
Em abril, o presidente russo, Vladimir Putin, sancionou uma lei que permite que ele concorra a mais dois mandatos depois do fim de sua atual gestão, em 2024. A emenda constitucional abriu caminho para que Putin, que já está no poder da Rússia há mais de 20 anos, permaneça até 2036, caso ele decida fazê-lo e ganhe a reeleição.
Presidente Putin participa das celebrações pelo 76º ano da vitória soviética sobre os nazistas na 2ª Guerra Mundial
Reuters/Sputnik/Mikhail Metzel
Emmanuel Macron agredido
Durante viagem ao Sul da França, em junho, o presidente do país, Emmanuel Macron, foi alvo de violência. Ele levou um tapa no rosto quando foi falar com a população ao lado de uma cerca de contenção. O agressor, um apoiador da monarquia, foi condenado a quatro meses de prisão em regime fechado.
Macron é agredido em visita ao sul da França em 8 de junho de 2021
Reprodução/Redes Sociais
Angela Merkel deixa o poder na Alemanha
Angela Merkel, que por 16 anos ocupou a posição mais importante da Alemanha, passou o cargo de primeiro-ministro do país para Olaf Scholz, seu vice-chanceler e ministro das Finanças, no começo de em dezembro.
Merkel recebe flores de Olaf Scholz
Markus Schreiber/Pool via REUTERS
Conflito na Faixa de Gaza
Em maio, a escalada de violência entre Israel e o Hamas, o grupo extremista palestino que controla a Faixa de Gaza, atraiu novamente as atenções para um conflito que se arrasta por décadas, misturando política e religião. Mais de 240 pessoas morreram em dez dias de conflito – a maioria palestinos – e as imagens impressionantes do sistema antimísseis israelense, o Domo de Ferro, rodaram o mundo.
Rastros de luz do sistema anti-míssil Israel enquanto ele intercepta foguetes lançados da Faixa de Gaza, vistos de Ashkelon
Reuters/Amir Cohen
Papa Francisco faz visita histórica ao Iraque
Em março, o Papa Francisco fez uma visita histórica. Ele ficou três dias no Iraque com o objetivo de transmitir uma mensagem de paz e reconciliação e visitou seis cidades no total. O pontífice foi a locais que foram vítimas do terror dos extremistas do grupo Estado Islâmico e também teve um encontro importante na cidade sagrada de Najaf – local de nascimento de Abraão, pai do judaísmo, cristianismo e islamismo – com o aiatolá Ali Sistani, uma referência religiosa para a maioria dos muçulmanos xiitas do mundo.
O Papa Francisco em Qaraqosh, um enclave cristão no Iraque, em 7 de março de 2021
Yara Nardi/Reuters
Assassinato do presidente do Haiti
Em julho, Jovenel Moise, presidente do Haiti na época, foi morto em um ataque a tiros em sua casa, na capital Porto Príncipe, em meio à uma grave crise política, econômica e social. Em outubro, um ex-militar colombiano, que estaria envolvido no assassinato, foi preso na Jamaica, mas o mandante segue uma incógnita. Um mês antes, o então promotor-chefe do país pediu para denunciar o atual primeiro-ministro, Ariel Henry, pelo crime, e logo depois foi tirado do cargo pelo próprio premiê.
Imagem do presidente assassinado do Haiti, Jovenel Moise, em 23 de julho de 2021
Ricardo Arduengo/Reuters
Encontro do G20 em Roma
Os líderes dos 20 países que têm as maiores economias do mundo se reuniram por dois dias em Roma, na Itália, em outubro. No encontro, que só não contou com a presença dos presidentes da China e da Rússia, o G20 anunciou, entre outros, um compromisso para limitar aumento da temperatura a 1,5ºC.
Líderes de países do G20 em foto de 30 de outubro de 2021
Yara Nardi/Reuters
Navio encalhado no Canal de Suez
Em março, um grande navio de carga encalhou no Canal de Suez, uma das passagens mais importantes para o comércio mundial, no Egito, e suspendeu totalmente a navegação no local por seis dias. O bloqueio gerou prejuízos de milhões de dólares e os proprietários e as seguradoras do navio tiveram que pagar uma indenização para que a embarcação e sua tripulação fossem liberadas (relembre no vídeo abaixo).
Caminhos ficaram cada vez mais curtos com os avanços da tecnologia em 2021
Visão de satélite do navio Ever Given encalhado no Canal de Suez, no Egito, no dia 27 de março.
Maxar Technologies/Handout via Reuters
Disparada das ações da Game Stop
Em janeiro, em um movimento orquestrado em um fórum na internet, um grupo de pequenos investidores fez as ações da rede de lojas de videogames Game Stop disparar. Em apenas um dia, os papéis tiveram alta de 134%. O ataque especulativo que aconteceu em Wall Street acendeu o alerta no mundo todo e se espalhou por outros mercados, fazendo pedidos de investigação se intensificarem.
Fachada da GameStop em Westminster, Colorado
Reuters
Apagão das redes sociais
Em outubro, o Facebook, o Instagram e o WhatsApp pararam de funcionar por várias horas e afetaram 2,8 bilhões de pessoas no mundo. O apagão teve grande impacto financeiro e provocou prejuízos nos mais variados tipos de negócios, além de ter causado fortes debates sobre a dependência cada vez maior das redes sociais.

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *