Internações por gripe disparam na cidade de SP e representam 23% das hospitalizações por síndrome respiratória

Segundo dados da Secretaria Municipal da Saúde, das 920 pessoas internadas com sintomas de doenças respiratórias nas últimas semanas, 213 tinham influenza e 37 receberam diagnóstico de Covid. Casos de gripe na cidade de São Paulo dispararam desde o início de dezembro e representam mais de 20% das internações, segundo levantamento feito pela GloboNews com base em números da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo.
De acordo com a análise, na semana de 12 a 18 de dezembro deste ano, das 920 pessoas internadas com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) na capital paulista, 23% (213 pessoas) tinham Influenza e 4% (37 pessoas) tinham Covid-19.
Na semana anterior, de 5 a 11 de dezembro, das 912 internadas com Síndrome Respiratória Aguda Grave, 15% (139 pessoas) tinham Influenza e 6% (56 pessoas) tinham Covid-19.
Essa foi a semana que registrou uma inversão entre as hospitalizações por SRAG.
Uma semana antes, entre 28 de novembro e 4 de dezembro, o quadro registrado foi o seguinte: 713 pessoas internadas na cidade com SRAG, sendo 5% (37 pessoas) com Influeza e 6% (46 pessoas) com Covid-19.
Ou seja, ainda havia uma quantidade maior de pessoas hospitalizadas com a Covid-19 do que com Influenza.
Se compararmos com a semana de 20 a 26 de junho deste ano, 66% do total de internados com SRAG (1.516 pessoas) tinham Covid-19 e só 0,13% (3 pessoas) tinham Influenza. Naquela semana, 2.292 pessoas com SRAG foram hospitalizadas em toda a cidade.
"A moral da história aí é ver como os vírus Influenza passaram o ano todo causando muito pouca internação (proporcionalmente aos demais e principalmente em relação a Covid-19 e , nas últimas duas semanas, passou a ter protagonismo entre os internados", explica Luiz Artur Vieira Caldeira, coordenador da Coordenadoria de Vigilância em Saúde (Covisa) municipal.
"No entanto, [a Influenza] é um vírus muito menos grave que a Covid-19. Se não fosse o processo de vacinação contra a Covid, ela (Covid) ainda seria a grande responsável pelas internações."
O levantamento não inclui os dados da semana de 19 a 25 de dezembro em razão do recesso nos serviços hospitalares, que gerou um atraso nas notificações dos casos, segundo o coordenador da Covisa. É um número que vai mudar muito ainda, o que prejudica qualquer análise, segundo ele próprio.
Vacinação
Por conta do crescimento dos casos, A Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo (SMS) amplia a partir desta terça-feira (28) a campanha de vacinação contra a gripe.
O anúncio ocorre em meio à baixa procura pelo imunizante nos postos: nesta segunda, foram aplicadas apenas 7,6 mil doses da vacina contra Influenza na capital paulista.
A partir desta terça, todas as pessoas que ainda não se vacinaram contra Influenza em 2021 poderão receber o imunizante. A regra vale ainda para bebês e crianças a partir de 6 meses de idade. A prefeitura alerta que a campanha é válida enquanto durarem os estoques de vacina nos serviços de saúde.
A imunização acontece em todas as 469 Unidades Básicas de Saúde (UBSs), sempre das 7h às 19h.
Não há necessidade de intervalo entre a aplicação de vacina antiCovid e contra gripe, segundo a Prefeitura de São Paulo. É possível, inclusive, que ambas sejam aplicadas no mesmo dia.
VÍDEOS: Veja mais notícias sobre São Paulo e região:

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *