Incidência de raios aumenta 53% em MT em um ano

Incidência de raios aumenta 53% em MT em um ano


Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia, de janeiro a novembro deste ano, foram registrados mais de 14,9 milhões de raios em Mato Grosso. Incidência de raios aumentou 53% em um ano
Leo Caldas/ Arquivo pessoal
Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia, de janeiro a novembro deste ano, foram registrados mais de 14,9 milhões de raios em Mato Grosso. O aumento foi de 53% em relação ao mesmo periodo do ano passado, quando foram contabilizadas 9,7 milhões de descargas elétricas.
As regiões norte e sul do estado foram as mais impactadas nesse período. Mesmo local onde estão as regionais de Sinop e Rondonópolis da empresa, que atendem mais de 500 mil unidades consumidoras – 36% dos clientes de todo o estado.
De acordo com o gerente de operações da Energisa, José Nelson Quadrado Júnior, todas as equipes de campo estão reforçadas, com a contratação direta de pessoal e de empresas de apoio.
Ele explica que em cidades como Rondonópolis e Itiquira, além das incidências de raios, os temporais também vieram acompanhados por ventos de mais de 70km/h. Nesse cenário, passam a ser frequentes casos de queda de árvore, objetos lançados sobre as redes, rompimento dos cabos de energia e impactos nas estruturas de postes.
Raios em MT
Foto de Fabiano Allex
Por causa do alerta de novos temporais nos próximos dias, as equipes de campo também já estão preparadas para trabalhar em contingência, afirma a Energisa.
O desafio maior é no campo, explica a convessionária, já que o tempo de atendimento acaba sendo maior em regiões rurais onde são necessários até mesmo tratores para acessar áreas onde caminhões, carros e as viaturas de atendimento emergencial atolam, como em regiões de plantio encharcadas nesta época.
Por causa da volta da chuva, a vistoria e poda da vegetação são essenciais. O gerente de construção, manutenção e distribuição da Energisa, Marcelo Pazoti, explica que a companhia faz podas preventivas quando os galhos estão próximos a fios.
No entanto, ele pede o apoio da população e das prefeituras, responsáveis pelo serviço preventivo.
O gerente esclarece também que é preciso fazer a poda da planta antes de chegar a rede elétrica.

Use ← →para continuar navegando

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.