Gripe aviária: ameaça de nova epidemia faz Israel sacrificar centenas de milhares de aves

Gripe aviária: ameaça de nova epidemia faz Israel sacrificar centenas de milhares de aves


Cerca de 5 mil grous selvagens morreram e centenas de milhares de galinhas e perus estão sendo sacrificados. Resgate de grous mortos no Lago Hula, no norte de Israel
Israel Nature and Parks Authority
Dezenas de milhares de aves estão sendo sacrificadas em Israel, na tentativa de conter um sério surto de gripe aviária.
Mais de 5 mil grous migratórios já morreram na Reserva Natural de Hula – no que o ministro do Meio Ambiente, Tamar Zandberg, chamou de "o pior golpe para a vida selvagem" na história de Israel.
Os fazendeiros locais também foram forçados a abater meio milhão de galinhas, gerando temores de uma possível escassez de ovos.
Até agora, nenhuma transmissão do vírus A (H5N1) para humanos foi relatada.
Além da alimentação, ovo é matéria-prima para a produção de vacinas
'É como matar um cão': o polêmico abate de jegues no Nordeste para produção de remédio na China
No entanto, o primeiro-ministro, Naftali Bennett, se encontrou com seu conselheiro de segurança nacional e outros especialistas na segunda-feira (27/12) para discutir os esforços para evitar que isso aconteça.
Pessoas que estiveram em contato próximo com aves infectadas estão recebendo tratamento preventivo.
Embora a transmissão de pássaros para humanos seja um evento raro, a morte de 456 pessoas infectadas com o vírus foi relatada em todo o mundo desde 2003, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS).
Imagens publicadas pela Autoridade de Parques e Natureza de Israel mostraram guardas florestais em trajes de proteção usando um bote para recuperar os grous mortos do Lago Hula, com objetivo de evitar que outros animais selvagens sejam infectados.
A autoridade também informou que os restos mortais de 250 aves foram vistos ao redor do Vale de Hula e que 30 grous doentes foram identificados em outras partes do país.
A visão de dezenas de milhares de grous vindos da Europa para passar o inverno na Reserva Natural de Hula costuma ser um deleite para os observadores de pássaros. Mas o local foi declarado proibido para visitantes na semana passada devido ao devastador surto de gripe aviária.
Os vírus da gripe aviária ocorrem naturalmente em aves aquáticas migratórias, que tendem a não desenvolver sintomas.
As aves domésticas são muito mais suscetíveis e, uma vez que o vírus seja encontrado em grupos comerciais ou domésticos, recomenda-se o abate rápido de todas as aves que possam estar infectadas.
A mídia israelense informou que mais de meio milhão de galinhas em Moshav Margaliot estavam sendo abatidas em um esforço para conter o surto e minimizar o risco para os humanos. O local fornece 7% de todos os ovos consumidos em Israel.
O jornal Times of Israel disse que o primeiro surto de gripe aviária em Israel neste outono foi relatado em 18 de outubro em Moshav Nahalal, no Vale de Jezreel, cerca de 60 km a sudoeste da Reserva Natural de Hula.
Em novembro, foram registrados casos em um kibutz (fazenda coletiva) e em duas granjas, acrescentou.

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *