Estudo da USP avalia segurança e imunidade da vacina da Janssen no público de 12 a 17 anos

Estudo da USP avalia segurança e imunidade da vacina da Janssen no público de 12 a 17 anos


Voluntários não podem ter sido vacinados com outro imunizante para a Covid-19 e precisam ter boa saúde. Grupo de 50 pessoas será acompanhado por até dois anos. Pesquisa é conduzida em 8 países. USP quer avaliar eficácia da vacina da Janssen em adolescentes
Um estudo conduzido pelo Hospital das Clínicas (HC) e pela Faculdade de Medicina da USP em Ribeirão Preto (SP) vai avaliar a segurança, os efeitos colaterais e a imunidade da vacina da Janssen no público de 12 a 17 anos. A pesquisa acontece no Brasil e em outros sete países. (Veja abaixo como participar)
Segundo a professora Marisa Mussi, do Departamento de Pediatria da USP, o estudo é uma oportunidade de entender como a população mais jovem pode ser protegida dos efeitos da infecção do coronavírus.
“A criança ainda tem um sistema imunológico que está em desenvolvimento, então nós não podemos simplesmente transpor os dados que nós temos com os adultos para as crianças.”
Em Santa Catarina, 260.723 pessoas já estão aptas a receber a segunda dose da Janssen
Ricardo Wolffenbüttel / Secom
No Brasil, até o momento, apenas a vacina da Pfizer tem autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para ser aplicada em pessoas de 12 a 17 anos.
Em Ribeirão Preto, 81% dos moradores desta faixa etária tomaram a primeira dose do imunizante da Pfizer, enquanto 58% receberam a segunda.
“Considerando-se que a pandemia ainda não terminou e que possivelmente nos próximos anos nós teremos outros surtos, talvez não tão acentuados com esse, é importante que nós conheçamos como vamos proteger tanto a criança quanto a comunidade que tem contato com as crianças, por meio de vacinas.”
Requisitos e acompanhamento
Ao todo, 50 voluntários serão analisados. Eles não podem ter sido vacinados antes contra a Covid-19 e devem ter boa saúde. Os interessados ainda passarão por uma triagem com mais avaliações. Por se tratar de um estudo envolvendo menores de idade, é necessária a autorização dos pais.
De acordo com Marisa Mussi, a aplicação das doses começa em janeiro. Os participantes vão ser acompanhados por até dois anos.
“Caso preencha todos os critérios necessários para participar do estudo, ela será imunizada com duas doses da vacina e acompanhada ao longo de 12 a 22 meses, sob o ponto de vista da sua reação e de quanto produziu de defesa contra o coronavírus.”
A professora Marisa Mussi, do Departamento de Pediatria da USP em Ribeirão Preto, SP
Jefferson Severiano Neves/EPTV
Como ser voluntário
Os jovens interessados em participar do estudo devem preencher o formulário de pré-inscrição disponível no site da faculdade de medicina (clique ao lado para acessar o documento).
Mais informações podem ser obtidas pelo WhatsApp (16) 98187-1455 ou pelo e-mail estudohorizon2@hcrp.usp.br.
Veja mais notícias da região no g1 Ribeirão Preto e Franca
VÍDEOS: Tudo sobre Ribeirão Preto, Franca e região

Use ← →para continuar navegando

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.