Conheça a redação vencedora do concurso cultural do Guia do Estudante

Conheça a redação vencedora do concurso cultural do Guia do Estudante


Redatora do melhor texto ganhou um notebook novo O concurso cultural do Guia do Estudante convidou jovens de toda Santa Catarina para escrever uma redação sobre crise hídrica, tema que foi grande aposta para a prova do Enem de 2021. Mais de 100 textos foram enviados para a avaliação de profissionais da educação parceiros do projeto. As redações receberam notas com base nos critérios que o Inep utiliza para a correção do Exame Nacional.
A vencedora do concurso foi a estudante do Ensino Médio de Joinville Luísa Pegoraro Einhardt. A moradora atingiu a nota máxima e teve seu texto escolhido pelos professores.
Leia a redação:
Pero Vaz de Caminha, na “Carta a el-Rei Manoel sobre o achamento do Brasil”, escreveu que o território brasileiro possui “águas infindas”. Entretanto, no Brasil contemporâneo, percebe-se a esgotabilidade dos mananciais, sobretudo no contexto da crise hídrica, bem como os impactos dessa escassez na produção de eletricidade. Assim, o desmatamento excessivo contribui para a falta de água, de modo a restringir a geração de energia elétrica e prejudicar a população brasileira, que depende desses recursos para apresentar saúde e bem-estar.
Sob esse viés, constata-se que a diminuição na cobertura vegetal brasileira implica a redução na disponibilidade de água. Nesse sentido, explica-se esse fenômeno por intermédio do conceito geográfico de ciclo hídrico, uma vez que, nesse processo, as plantas realizam um papel essencial ao retirar H2O de lençóis freáticos e liberá-lo na atmosfera, para permitir a precipitação desse líquido e, dessa maneira, garantir o abastecimento dos rios. Ou seja, o corte de árvores interrompe essa sequência e dificulta o estabelecimento desses afluxos. Logo, comprova-se que a destruição das matas ocasiona a ocorrência de secas.
Ademais, nota-se como a crise hídrica compromete a produção de eletricidade no Brasil, uma vez que mais da metade da matriz elétrica brasileira se baseia na hidroeletricidade. Acerca disso, uma notícia divulgada em 13 de setembro de 2021 pela Cable News Network Brasil (CNN) informa que as usinas hidrelétricas Ilha Solteira e Três Irmãos estão atuando com menos de 10% da capacidade regular e verificam risco de desligamento, em razão da seca. Outrossim, tanto a própria água quanto a energia gerada com o uso desse fluido mostram-se recursos fundamentais para os seres humanos. Então, mostram-se os impactos negativos da escassez de água, com ênfase para o desprovimento de energia elétrica.
Portanto, a crise hídrica brasileira, devido ao desflorestamento, limita a produção de eletricidade e empecilha o bem-estar dos cidadãos. Por conseguinte, a fim de preservar as florestas e assegurar a continuidade do ciclo hídrico, cabe ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) reforçar a fiscalização sobre o desmatamento e a cobrança de multas aos praticantes desse crime ambiental, por meio do estabelecimento, com o auxílio de drones, de uma rede de vigilância integrada à polícia ambiental. A partir dessas medidas, garantir-se-á a manutenção do fornecimento de energia hidrelétrica no país, haja vista que se elevará o nível dos rios e, consequentemente, preencher-se-ão as barragens, como exemplo, de Ilha Solteira e de Três Irmãos.
Acesse o canal do Guia do Estudante e saiba mais.
Leia também
A importância da saúde mental na preparação para o Enem e vestibulares
Lifelong learning: o estudo como um estilo de vidaFonte G1 SC

Use ← →para continuar navegando

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.