Comissão que vai analisar processo de impeachment contra Carlesse é formada; veja quem são os participantes

Comissão que vai analisar processo de impeachment contra Carlesse é formada; veja quem são os participantes


A comissão é formada por cinco deputados estaduais, um para cada bloco partidário da AL. Comissão que vai analisar processo de impeachment contra Mauro Carlesse foi anunciada
Divulgação/Assembleia Legislativa do Tocantins – Montagem/g1
A Assembleia Legislativa do Tocantins formou na noite desta terça-feira (7) a comissão especial que vai analisar o processo de impeachment aberto contra o governador Mauro Carlesse (PSL), que está afastado do cargo. Ao todo, são cinco integrantes da comissão, um para cada bloco partidário que exista na AL.
Em nota, a defesa do governado disse que considera a admissão de um pedido de impeachment pela Assembleia Legislativa um ato apressado e impensado.
Veja o que já se sabe sobre como será o processo
Veja os integrantes
Elenil da Penha (MDB + DEM)
Eduardo do Dertins (PPS + Cidadania + PR + PTB + PCdoB)
Júnior Geo (Pros + Solidariedade + PSL)
Olyntho Neto (PSDB + PP + PTC)
Zé Roberto (PT + PV)
Pela regra, os partidos teriam até 48 horas para apresentar os nomes, mas houve acordo entre os parlamentares e por isso eles preferiram acelerar o processo. Os nomes foram anunciados em plenário durante a sessão ordinária desta terça-feira.
Governador do Tocantins está enfrentando processo de impeachment
Esequias Araújo/Governo do Tocantins
A função da comissão especial é levantar as informações sobre o caso, ouvir testemunhas e também a defesa do governador. Os parlamentares podem ainda solicitar o compartilhamento das provas que levaram o Superior Tribunal de Justiça (STJ) a determinar o afastamento de Carlesse.
O relator do processo ainda não foi escolhido. A ele caberá a missão de fazer um relatório sobre tudo o que acontecer na comissão. Ao final dos trabalhos, o relator vai recomendar o prosseguimento ou arquivamento do processo e o parecer dele precisa receber maioria dos votos na comissão para ser aprovado.
O caso só vai ao plenário se for aprovado na comissão. A fase do julgamento em plenário ainda ainda não tem um rito completamente definido. O atual regimento da AL prevê que a votação de um impeachment seja por voto secreto, mas o presidente da AL já informou que pretende mudar esta regra para votação aberta.
Presidente da AL aceita pedido e abre processo de impeachment contra Mauro Carlesse
Reprodução/TV Anhanguera
Quais as acusações?
O pedido de impeachment é baseado nos inquéritos que levaram ao afastamento do governador pelo STJ. Carlesse é considerado suspeito em duas operações da Polícia Federal que ocorreram simultaneamente.
Uma delas é para a apuração de um suposto esquema de propinas relacionado ao plano de saúde dos servidores públicos, na época chamado de PlanSaúde. A segunda operação investiga suposta interferência do governador em investigações da Polícia Civil que poderiam prejudicar aliados e o próprio governo.
Veja mais notícias da região no g1 Tocantins.

Use ← →para continuar navegando

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.