Após aumento de casos de Covid-19, eventos com mais de 3 mil pessoas são suspensos no Amazonas

Novas regras entram em vigor a partir do dia 15 de dezembro. Multas por descumprimento aumentarão para até R$ 500 mil.
Após dados epidemiológicos indicarem aumento nos casos de Covid-19 no Amazonas e com o surgimento da variante ômicron, o Comitê de Enfrentamento à Covid-19 do Amazonas decidiu suspender a realização de eventos com mais de 3 mil pessoas no estado. As medidas foram definidas na noite desta terça-feira (7), em reunião convocada pelo governador Wilson Lima.
Além dos novos limites, o comitê também decidiu aumentar o valor máximo da multa para organizadores que descumprirem protocolos sanitários de R$ 50 mil para R$ 500 mil.
O comitê também vai recomendar que não sejam realizados eventos públicos de comemoração de Natal e ano novo pelas prefeituras.
As novas regras constarão em decreto válido para o período de 15 de dezembro de 2021 a 15 de janeiro de 2022.
O governo informou que vai intensificar as ações de vacinação e inicia busca ativa nas regiões do estado com menores percentuais de população imunizada.
Para combater a doença, nesta quarta-feira (8), a campanha de megavacinação também tem início.
Além de limitar a lotação de eventos a três mil pessoas, a capacidade física dos espaços deverá ser de no máximo 50%.
“São 30 dias para que nós possamos avaliar a evolução da Covid-19, aqui nessa sazonalidade, e também qual vai ser o comportamento dessa nova variante (ômicron). É muito importante a gente retroceder agora para lá na frente não perder o controle da transmissão do vírus aqui no estado”, disse o secretário de Estado da Saúde, Anoar Samad.
Até o momento, o Amazonas não tem registro de casos da nova variante ômicron, já identificada em três estados brasileiros.
Indicadores
De acordo com a Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), houve aumento do número de casos confirmados na capital e interior nos últimos 14 dias. Em Manaus, as notificações saíram de uma média de 15 para 32 casos, diariamente. No interior, subiram de 50 para 76.
Além disso, para adotar as novas medidas, o comitê considerou que, entre os meses de dezembro e janeiro, o estado entre no período de maior transmissão de síndromes gripais, como a Covid-19, por conta das chuvas.

Use ← →para continuar navegando

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.